Google+ Followers

quinta-feira, 31 de março de 2011

Ser Humilde

Existe  um significado em ser Humilde, uma pessoa humilde é maravilhosa, não importa de qual classe social a pessoa seja, ela  tendo humildade em seu interior é o que importa.
Já conheci muita gente rica que tem humildade e muita gente não rica que não tem humildade, o valor de ser humilde não está no bolso, mas sim no coração.
A humildade tem transformado muitas pessoas, pessoas que tem condições e coração humilde tem dado a mão para o outro ajudando no que pode fazer de diferente.
Hoje o fazer diferente é fazer acontecer o melhor na vida de quem precisa, e isso nosso Brasil tem de sobra pessoas humildes e generosas. Quantas pessoas já tiveram suas vidas transformadas por causa da humildade de muitos? Perdemos a conta, e há ainda chance de ajudar mais e mais as pessoas.
As vezes confundimos muito a realidade do que seja mesmo ser humilde, e sendo que na realidade para Deus a humildade é um dom divino previlégio abençoado e quem tem humildade deve continuar sempre ajudando o outro.
Muitas das vezes uma ação simples na vida de uma pessoa contribui muito para um melhor calço na vida de uma pessoa, é como diz muitos por aí, “ser simples é chic”, eu digo que é verdade e ser humilde é ter um bom coração mágico!♥
Autora: Adaildes Alves Moreira

Passeio no Jardim

N a Antiga casa dos Antigos Presidentes do Brasil.


Nada como um dia lindo e ensolarado, ainda mais quando passeamos entre belas flores, uma paisagem encantadora.
Fiz uma viagem de dois dias na cidade de “Goiás Velho”, passeio que vir muitas coisas lindas, um lugar maravilhoso, mas o que mais gostei foi de caminhar pela cidade e ver todos os jardins verdes e floridos, um encanto de lugar.
Amo ver um jardim bem cuidado, o verde e as flores me encantam, a natureza é sem comparação a outra coisa, faz tão bem, relaxa o corpo, parece que a vida só tem coisas boas.
Eu passei esses dois dias maravilhosos com os colegas de faculdade, conheci estudantes de outras faculdades, cada passeio era melhor que o outro e a comida da região então, nem se fala, maravilhosa!Vou postar meu prato feito na cidade, em um restaurante típico, estava muito boa, agora vou viajar para “Ouro Preto” viagem de 4 dias para ganhar horas de atividades complementares da faculdade, acho que será muito divertido e deve ter belas paisagens lá, depois eu acrescento as fotos de lá.Só sei que passear faz muito bem, principalmente conhecer lugares lindos, como este acima,o jardim da casa antiga dos primeiros presidentes do Brasil em Goiás Velho, no dia 27 e 28 de Novembro de 2010.

Jardim da Cora Coralina, eu tirei a foto e as das outras também.





Jardim da Antiga casa dos Antigos Presidentes do Brasil em Goiás Velho




Jardim da cidade de Goiás Velho.









Igreja Santa Bárbara em Goiás Velho eu tirei a foto.

ônibus da viagem que eu fiz.


Em Goiás Velho, linda cidade histórica.

Jardim em frente o hotel Vila Boa onde eu hospedei em Goiás Velho
A cidade de Goiás município brasileiro do Estado de Goiás, muito bonita, cidade histórica e reconhecida pela "UNESCO". A pesquisa foi realizada no dia 27/11/2010 ao dia 28/11/2010, foram dois dias de curiosidades, observação, com objetivos de realizar um relatório da viagem nos dias seguintes para ser entregue no dia 07/12/2010 e assim foi feito e entregue o relatório ganhei 30 horas de Atividades Complementares.
Dia da viagem, pela manhã o local que se aguardavam a chegada do ônibus era de frente a faculdade, muitos alunos foram para a viagem rumo á cidade de Goiás Velho. Na estrada de ida passamos por muitos lugares e cidades, os alunos de dentro do ônibus tiravam fotos das paisagens que observavam. A primeira parada foi breve, para descansar um pouco em seguida retoma viagem á caminho para o lugar destinado.
Depois de cinco horas de viagem, enfim, chegamos no “Hotel Vila Boa”, no qual seria o hotel de hospedagem dos alunos universitários, cada quarto do hotel havia três á quatro camas dividiam-se entre os alunos, e foi gratificante essa divisão, pois puderam se conhecer melhor os que ficaram no mesmo quarto e também os outros se uniram nos passeios pela cidade.
O primeiro passeio foi à ida para o restaurante, um restaurante com um almoço típico do lugar, era uma mistura de “Goiano” á “Portuguesado”, porque havia pratos como galinha caipira á berinjela no azeite, outras saladas, carne assada, macarrão, arroz, jiló no vinagre, berinjela no vinagre e outras, uma boa culinária do Restaurante Brasileiro.
O almoço muito bom, logo mais uma caminhada para conhecer pontos históricos, um passeio pelas ruas feitas com pedras, fica no centro da cidade de Goiás Velho, onde há muitas casas com suas histórias, riquezas e segredos misteriosos, principalmente onde se houve muitas histórias lendárias que acontece na cidade, ruas bem feitas, limpas e bem conservadas de estilo Português, aliás, as casas também com esse estilo.
Entramos no “Museu das Bandeiras”, uma antiga casa, nela existe uma história muito ruim e algumas boas, esta casa é a "Antiga Casa de Câmara e Cadeia", foi considerado um museu desde 1950, onde nela mostra uma história das rotas dos bandeirantes que ali predominavam e colonizaram o lugar. Existem ali as divisões de sela, cada crime e pessoa tinha seu lugar determinado e punição, até a forca era considerável para certos crimes hediondos.
Este museu foi construído em 1761 e 1766, foi tombado pelo" IPHAN", em Maio de 1951 e restaurado 30 de Junho de 2004 á 11 de Julho de 2005, um lugar com muitas histórias.
Na outra caminhada, foi rumo ao “Museu de Arte Sacra”, lá pudemos observar quantas relíquias obras feitas pelo santeiro “José Joaquim da Veiga Vale”, conhecido por “Aleijadinho Goiano” e outras obras de autores desconhecidos, provavelmente obras feitas pelos escravos, obras muito bonitas.
Construção iniciada por homens do militarismo e não chegaram á concluir a obra, depois de um longo tempo os “Homens Pardos” concluíram a construção por volta do ano de 1779 e no ano de 1921 houve um incêndio que destruiu parte da Igreja, principalmente obras feitas pelo escultor Veiga Valle, e só por volta de 1969 passou ser o Museu de “Arte Sacra da Boa Morte”. Interessante como é bem conservada todas as relíquias da Igreja, são obras bem trabalhadas, principalmente as obras que contêm uns anjos.
Visitamos a casa de “Cora Coralina”, um local muito lindo, têm histórias marcantes, ela uma poetisa, escreveu muitos versos, livros, leu muitos livros, em sua casa que agora é um museu de visitação tem um jardim maravilhoso, a casa fica perto de uma ponte com um vista belíssima para a cidade de Goiás Velho, dentro de sua casa conserva sua rica história, seu verdadeiro nome é “Ana Lins de Guimarães Peixoto Bretas”, publicou seu primeiro livro aos 76 anos de idade, e era doceira como sua prima “Goiandira” e por sinal toda sua família talentosa, “família talentos”!
Entramos em seguida, depois de uma pequena caminhada pelas ruas no “Palácio Conde dos Arcos” antiga construção, muito bonita, onde era residência oficial de muitos governadores do Estado de Goiás, no qual o primeiro dos 92 governadores foi “Dom Marco de Noronha” e dizem que o ultimo deles foi “Pedro Ludovico Teixeira”, hoje é um lugar visitado por muitos, o que observei na história antiga deles, foi quando o guia contou sobre como era um almoço ou jantar dos governadores, lá na mesa só os homens podia sentar, as mulheres não, e ainda havia duas esculturas de madeira do armário com mulatas com os bustos descobertos que causaram polêmicas pelas beatas, por o lugar ser muito religioso, não poderia ter aquelas esculturas expostas, foi o que mais me intrigou nesta história de como as mulheres não participava de quase nada, mas muitas se superaram como as primas, “Goiandira e Cora”
Depois de tudo isso, fizemos uma pequena viagem para a “Igreja Santa Barbara”, muitos conhecem por ter histórias lendárias e muito estranhas, também acontece no mês de Dezembro festa, fica localizada na saída da cidade para o norte em cima de um morro, tem uma boa vista, do hotel dava para ver a igreja, foi iniciada sua construção por volta de 1775, foi concluída depois de uns cinco anos. Simplesmente a Igreja foi construída em blocos de pedra-sabão e adobe, os escravos eram quem subiam e desciam com as pedras para construir a igreja, uma tremenda dureza o trabalho escravo na época. É composta por 52 degraus a escadaria da igreja, uma boa subida para o morro, mas com uma bela vista, de lá pode ver parte da cidade de Goiás Velho.
De volta para o Hotel, preparação para noite, um belo banho depois de termos vistos tanta beleza do lugar. Preparamos á noite já começara, tiramos algumas fotos nas proximidades do hotel, quando o motorista pediu que todos entrassem no ônibus e passou algumas instruções de como seria a noite, a divisão e união dos grupos, quem quisesse ficar, teria que voltar de táxi para o hotel.
Nesta divisão a mais importante foi na hora do rodízio de pizza, como cada uma variava de preço, teve-se idéia de pedir várias e depois dividi-las entre os participantes e cada um pagava uma quantia satisfatória, isso já foi um bom começo de interação entre os grupos de alunos.
Na volta para o hotel, alguns dos alunos ficaram para conhecer mais o ambiente da cidade e outros resolveram ir dormir para que no outro dia terminássemos de conhecer a cidade. E foi uma boa dormida, uma noite tranquila.
Ao amanhecer, eu e as amigas do quarto que eram três amigas, decidimos que cada uma tomasse o banho e rápido, pois teríamos que descer e tomar o café da manhã do hotel, e foi um ótimo café da manhã. Tiramos fotos no ambiente e também no jardim do hotel, depois de tudo já era hora de entrar no ônibus ir rumo ao passeio de Domingo por lugares planejados do roteiro.
Já no “Ateliê de Goiandira do Couto”, esperamos à hora de abrir, estávamos ociosos para ver a beleza das pinturas feitas pela a artista, um talento de obra, obras feitas com areias naturais que recolhia na Serra Dourada, eram areias tão bonitas que dava vida original das obras, não eram areias pintadas de tintas, as areias tinha a cor natural, uma exuberância de cor, “Goiandira” prima de “Cora”, por isso explica tanto talento entre as duas, no ateliê dela havia obras de muitas qualidades. Há também pintura feita de óleo, que se refere à primeira fase do óleo, dizem que começou de 1933 até 1967, e começou sua outra fase por volta de 1968 que é a fase de pintar com areias naturais, pintou desde criança e ganhou sua primeira premiação aos seus 16 anos e hoje não agüenta fazer suas encomendas, pois já está cansada por sua idade muito avançada, mesmo assim tem encomendas de pintura até do estrangeiro.
Tanta maravilha pela cidade, não conseguimos visitar toda cidade. Outra visitação maravilhosa, já na Igreja nossa do Rosário, antiga construção, “A Igreja da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos”, foi construída por volta do ano de 1734, considerado segundo dos edifícios religiosos da cidade de Goiás, e no ano de 1930, já se passado dois séculos, foi demolida como diz sua história e hoje há o edifício religioso visitado por muitos, um museu com alta beleza, suas pinturas maravilhosas feita na década de 1950 pelo autor da obra, um italiano religioso “Frei Nazareno Confaloni”, considerado “iniciador do modernismo nas artes em Goiás”, um trabalho incrível, no lado da igreja “fica o convento do Rosário onde funciona a “associação dos artesões de Goiás” e muitos alunos universitários observaram as obras, compraram como recordação e eu como lembrança do lugar comprei uma panela de argila e um prato.
Por fim, volta para o hotel, troca de ônibus , passeio pela fazenda, trilhas, um lazer de ar puro, dentro da fazenda um clube com piscinas de todos tamanhos, uma bela paisagem na fazenda, lugar tranqüilo e visitado por muita gente, depois de tanto lazer uma boa refeição típica da culinária goiana, tudo de primeira qualidade, passamos um bom tempo curtindo o lugar, logo mais voltamos para o Hotel, preparamos para nossa volta para Brasília, enfim chegamos bem, e tudo isso foi marcante e significou muito para o desenvolvimento do meu relatório, e o mais importante de tudo isso é que conheci novas pessoas, amizades e novos lugares.
Autora: Adaildes Alves Moreira

Minha refeição preferida



Gosto de um bom prato feito, aqui neste prato tem tudo que eu gosto em uma refeição, este prato é típico da região de Goiás Velho, foi numa viagem de faculdade que fiz lá num restaurante típico e maravilhoso da região havia tudo de bom sobre um bom prato goiano.
Neste prato tinha quiabo, galinha caipira,linguiça, carne assada,arroz,feijão, abóbora, espinafre, farofa de feijão tropeiro, salada  de  chuchú,  cenoura e alface , um pouco de feijão, estava maravilhoso este lindo prato típico goiano. Só indo lá para conferir as maravilhas da região.
Autora: Adaildes Alves Moreira

segunda-feira, 28 de março de 2011

O Lazer


Uma das atividades que gostamos de praticar é o lazer, qualquer atividade que praticamos como simples banho em um Clube, num rio, fazer caminhada na rua, num park, passear pelo lindo jardim, qualquer coisa mesmo é um lazer bom para nossas mentes e para o  corpo. Eu mesma gosto principalmente de viajar e plantar qualquer planta mexer com a Terra  é maravilhoso ,curtir um bom lazer aumenta a vontade de acordar  bem cedo  e cumprir  as tarefas do dia a dia ,ficam até  mais fáceis de serem resolvidas.
A galera gosta mesmo de um bom lazer, não tem idade , só basta querer fazer seu dia ficar bem agradável, renovar suas rotinas é sempre muito importante para a alegria de viver, não existe nenhum lugar que não possa ser ou existir um lazer bom, quem faz o dia melhor somos nós. Esta foto mostra como é a felicidade de quem vai para um lugar bonito, os alunos estão curtindo a água da piscina do clube e vão chegar em casa com a mente bem relaxada para cumprir as novas tarefas do outro dia. Viver bem, faz muito bem para o coração!
Autora: Adaildes Alves Moreira

Educação



Do meu ponto de vista, a Educação é necessária para crescimento de uma sociedade. Atualmente tem sido um tema de reflexão para muitos pensadores e contribuidores da Educação como os  Professores, mesmo com seus salários ainda baixos, procuram abranger o ensino para todos os grupos onde ainda não chegou e procurando ampliar onde já tem a Educação com melhor planejamento, mas depedendo das reformas de superiores para que esse ensino chegue a todos com qualidade e com lugar adequado.
O termo Educação é empregado de um modo em geral, não pode considerar a Educação só na escola ela vem desde os princípios básicos como a família e até a mais alta Educação.
Há uma grande preocupação, pois a Educação está ainda muito londe de ser modelo na sociedade, quanto mais cresce  a Educação, mas tem de  elevar o grau de qualidade e não de quantidade.
Investi na Educação seja ela qual for, torna um país com mais desenvolvimento, já pensou se a maioria da população não fossem educados desde pequenos pelos seus pais, ficassem só com a Educação de fora?
Mesmo sabendo de tudo isso, o patamar de Educação boa para um povo está só no papel, Educação é para todos, é “inevitável”, e dela dependemos para ter algo melhor como um bom emprego.
O  Meio Ambiente por exemplo tem sido tema de discursão sobre Educação, temos que ser educado suficiente para conservar o Planeta limpo e sem provocar ações que prejudica o Ambiente de um modo geral, ter Educação é abrangente para todas as áreas, por isso precisa ser um tema especial e para todos da sociedade.
No Brasil deveria ter mais investimentos na Educação, o maior vilão de uma pessoa não conseguir produzir um bom texto ou ter preguiça de ler um bom livro é a falta de incentivo nas escolas. E para ter incentivo as escolas tem que está preparada com bons profissionais, os professores deveriam ter bons salários, não tem nada que encha os olhos dos estudantes para um bom crescimento escolar, vai para uma escola onde não tem lazer, não tem uma Biblioteca de bons livros e isso só vem desestimulando os estudantes, uma boa Educação no Brasil está ainda muito longe de acontecer, deve existir interesse político para acabar com o analfabetismo e o sem-analfabetismo no Brasil inteiro, nosso país tão rico, com pessoas carismática com muita vontade da tal  mudança, pessoas  carentes em uma sociedade desigual, muitos com grandes fortunas e outros lutando para a sobrevivência de ser ou ter algo melhor e a Educação faz parte de maior parte de qualidade de vida e desenvolvimento de um país, mas para isso o Professor que faz parte de uma instituição que é o primeiro lugar de crescimento para um  cidadão na sociedade, deve-se receber melhor atenção na assistência á saúde, melhores salários. e muito mais, o professor merece, deve-se ter ferramentas para que o ensino seja repassado e recebido com mais entusiasmo.E quem vai dar essas ferramentas e quem faz parte de uma elite organizada, os políticos. Olha o Professor aí gente!!! Precisa olhar para eles com mais atenção, um Condutor deve ser valorizado, quem valoriza o Professor  valoriza a Educação!
Autora: Adaildes Alves Moreira

sábado, 26 de março de 2011

Ler faz bem para a alma

Eu gosto muito de ler, quando começamos ler um livro mesmo que não gostamos muito e não temos o hábito da leitura, é impressionante que começamos envolver nas primeiras páginas e logo queremos ler mais outras páginas até terminá-las para saber o final da história, estou lendo actualmente um romance de "Joaquim Manuel de Macedo" "Os Dois Amores",quando li as primeiras páginas achei um pouco confuso o texto, mas agora estou na página avançada e estou curiosa para ler e saber mais.
Por isso recomendo para os que não gostam de ler começar será muito bom activar  a memória , logo estarão lendo livros e mais livros, e para os que gostam de ler,continuar,saber nunca é demais, ler faz você ter muito conhecimento, você desenvolve a leitura, a fala , escrita e conhece palavras novas que não conhece.
Seja mais um leitor caros amigos, ler faz bem para a alma!
Autora: Adaildes Alves Moreira

Bullying

Outra forma de fazer vítimas na sociedade, principalmente vem ocorrendo no meio escolar.Também ocorre entre outros grupos, isso causa sérios distúrbios dos que sofrem essa agressão violenta causada pelo agressor.
Se você faz este tipo de coisa achando que está certo ou só pelo prazer  de ser violento, fazendo críticas não construtivas, põe apelidos de mau gosto, quer ser melhor, machão, durão, fala da cor, do cabelo, das diferênças, agride fisicamente e emocionalmente, você pode ter certeza que é um causador de vítmas do Bullying, fazendo muito mal as pessoas, você seja melhor com seu próximo, pense nas consequências, respeitar e ser educado não é difícil, não seja mais um Monstro Cruel na sociedade! Pare! Pare Já! Quantas vítimas existem, quantas vítimas já morreram por esse ato de crueldade! É um absurdo acontecer isso entre nós que temos um raciocínio inteligente, mas muitos estão usando a razão da violência.
Autora: Adaildes Alves Moreira

Bullying

Preconceitos, um monstro ainda entre a Sociedade


O que é muito preocupante e vergonhoso esse ato tão desumano na sociedade. Existe uma máscara de que o preconceito acabou entre os povos de várias nações,mas acontece de forma tão natural entre nós que chega ser cruel com as vítimas do preconceito e ainda pior é que fingimos de cegos para mascará tudo.
Falo de preconceitos de um modo geral,porque esse ato de violência tem acontecido bruscamente e deixando graves sequelas em pessoas que são agredidas não só fisicamente, e sim também emocionalmente.
Se fosse para todas as pessoas serem iguais em aparência e outros, Deus teria feito as pessoas tudo da mesma cor e agindo do mesmo modo, o que seria completamente chato, porque no mundo existem as diferenças que são importante e depende de cada um fazer a diferença acontecer, mas contando de fazer essas diferenças para o mundo se tornar melhor e não encher o mundo com crueldade violenta que agride uma nação inteira. O que adianta dizer que o preconceito não existe que foi banido, se continua descaradamente sobre nossos olhos?
A vida em todos os grupos de diferentes etnias depende de repensar os valores como ser Educado para respeitar o Ser, um Ser que está sendo injustamente massacrado por ter nascido diferente, terem vidas diferentes, viverem em uma razão social diferente, isso é uma vergonha para nós pessoas que usamos a razão como ser humano, e cometemos tantos delitos como este o preconceito.
Muitos na sociedade diz não ter preconceito, mas já parou para pensar como pode ter feito alguma vítima do  bullying e sem saber cometeu uma injustiça com seus colegas e familiares, deixando problemas sérios para o resto da vida? Tem que haver consciência do que seja mesmo bom e o repeito pelo seu próximo é que conta muito e isso transforma uma gente mais humana.
Esse ato monstruoso e desumano tem que acabar, sumir do planeta, só causa prejuízo emocional, moral entre as pessoas, as vítimas do preconceito sentem muito mesmo e ficam deprimidas para o resto da vida ou até já ouve casos de morte e suicídio, ou quem foi vítima do Bullying  fazerem outras vítimas, muito doloroso esse fato.
Autora: Adaildes Alves Moreira

Bullying 



quarta-feira, 23 de março de 2011

Satisfação

Significação,entendimento , algo entre as pessoas, de algo valioso, se não estamos satisfeitos com tudo, ou pouco que temos é melhor a reconsideração dos fatos.
Também temos a satisfação de procurar entender  outro e satisfazer os desejos do outro, mas temos que ter certeza se os nossos desejos são puramente realizados, para que tudo isso haja diálogo e não se “conflitar” é melhor que seja mesmo a compreensão de ambos os lados.
Não confundir satisfação com explicação ,e sim, na realidade de está satisfeito com tudo que tem e que faz, tanto em pequenas coisas e grandes realizações em nossas vidas.
Autora: Adaildes Alves Moreira

O amor

Amor existe de diferentes formas, o que importa é amar de verdade!
Autora: Adaildes Alves Moreira








A pergunta do dia!

Quantas vezes se lembrou de Deus hoje, de sua família, de seus amigos, você ama a Deus , sua família e seus amigos?
Autora: Adaildes Alves Moreira

Viver


Viver deve ser intensamente, quando vivemos mal nossa vida passa depressa, devemos viver um momento de cada vez, assim podemos aproveitar cada coisa melhor, um almoço com a família é muito importante, quantas vezes você já se reuniu com a família para um almoço ou amigos? È muito importante algumas vezes ter esse gesto de união com a família, temos que aprender a viver em união.
Autora: Adaildes Alves Moreira

Olhadas nas Noites!




Observando o Universo noturno, percebi como é bonito o Céu cheio de misteriosos pontos luminosos.

Cada noite observada era diferente, muito escura sem pontos brilhantes, noutra muito iluminada, outras vezes muito clara mesmo e céu azul estrelado "cheinho" de maravilhosos encantos,  que enchiam meus olhos curiosos de infância.
Quando eu era uma menina, ia às vezes para um terreiro da fazenda de meu pai ,e lá bem do lado do terreiro, haviam vários canteiros das flores chamadas de  "onze horas", um encanto de cores exuberantes, no meio de micros folhas "verdinhas" . Eram mesmo um encanto as  noites; tudo era fantástico para mim e meus irmãos que me acompanhavam na jornada de observação.
Meus irmãos olhavam para o céu e diziam ver luzes caindo do céu,  diziam ser estrelas cadentes.  Eu nunca acreditei em estrela cadente, achava uma tremenda bobagem, dizia para eles que se as estrelas são rochas, e como poderiam ser alguma coisa cadente! Era mesmo bobagem, ainda mais que eles faziam três pedidos para elas, diziam que se realizariam os pedidos  ao dormir, e ao acordar todos os desejos se realizavam, estavam ali.
As noites que nós irmãos mais gostávamos, eram as noitadas de lua cheia. Acendíamos um fogo e nas cinzas quentes enterrávamos as batatas doces para assarem. Meu pai Francisco Alves Moreira participava de todas as noitadas de lua cheia,  só a fim de comer batatas assadas. 

Hoje tenho saudades daqueles tempos de fazenda em Peixes - Tocantins, pois , vivemos hoje tranca-fiados entre as grades das casas e nem a noite a gente ver passar, praticamente não olhamos o Céu da noite, vivemos tão atordoados que nossa ilusão de infância passou  no tempo.  E amadurecemos nossas mentes cheias de problemas do dia a dia, esquecemos de olhar cada ponto maravilhoso do nosso Universo, não achamos praticamente nada de interessante , e sendo que a natureza continua aí, nós que mudamos.
Os tempos bons passaram, nossa vida mudada. Mas acho uma besteira abandonarmos nossas curiosidades, seria muito bom observarmos as grandes maravilhas que  o céu e o mundo  nos oferecem, Deus criou cada coisa bela, como as flores.  O céu ainda está  iluminado, o dia  às vezes ensolarado e muito mais... Com isso, de observação, deixaríamos um pouco  de lado, os nossos  problemas e os stresses da vida .

 E a vida seria para nós, com mais um pouquinho de alegria para fazer a diferença de nosso viver cansado
Autora: Adaildes Alves Moreira

Sorrisos e Alegria!

É muito bom ser sempre alegre, o sorriso faz com que nossa vida seja boa no decorrer do tempo.
Sorria, nunca deixe de sorrir, sorrir faz bem para a alma!
Autora: Adaildes Alves Moreira

terça-feira, 22 de março de 2011

Sou MOREIRA, Adaildes Alves.


Este  Site foi criado por : MOREIRA, por finalidades criar  textos, poemas, poesias e outros.
Espero satisfazer suas curiosidades de saber algo sobre me "Eu" e do que eu faço nas horas vagas.Isso é, quando tenho algum tempinho vago, pois trabalho muito, tanto em casa quanto no trabalho  ... Tem muita gente que acha que ser: Dona de casa, mãe, aluna, trabalhadora  Empresária, escritora , e resolver os problemas do dia a dia, acham que agente é desocupada... trabalho mais do que se eu estivesse trabalhando de carteira assinada, pois tenho muita responsabilidade no que faço, trabalho para mim com muito capricho...
Estou sem tempo, e o tempinho que tiro: é para meus filhos,  sair com meu marido, me arrumar é claro!
 Tenho que cuidar do corpo , do cabelo, das unhas e o principal, ir na Igreja falar  com Deus ...
No Domingo na minha folga, é o dia que eu mais trabalho, arrumar casa, lavar roupa com a máquina de lavar é claro, sair com meu marido, as vezes , resolver problemas, estudar, colocar as coisas em dias , ir na família, e as vezes não sobra tempo nem para resolver tudo, cada Domingo tenho que planejar , e na semana também sem tempo,pois procuro fazer o que posso, se não resolvo tudo, os dias prossegui e assim levando a vida... 
Gostaria  de receber seus comentários , podem fazer perguntas  e responderem perguntas.
Sou casada, tenho três filhos. Graduada em 2013 no Curso de  Letras/Licenciatura pela Faculdade "Fortium-DF" estudei lá desde 2010, atualmente em 2014 estudante de Pós-graduação em Gestão e Orientação Educacional  já terminando a Entrega do Artigo , enfim quase concluindo a Pós 2014.
 Além desse Blog  pessoal, estou escrevendo livros nas horas vagas, tenho muitos textos escritos, me considero uma escritora Romancista  Contemporânea , Poeta ou Poetisa ( trabalho na Crônica e na Poesia a Poética), Poetiza Comediante no meu modo de escrever e Poetizar , Comediante ( trabalho em meus textos as linguagens Coloquiais Propositais), pois também me formei além de Linguística em Português e Literatura me formei também na Sociolinguística ( adoro escrever a maneira que a pessoa fala em meus textos). Sou ainda, Cronista, Contista e muito mais, independente de você querer ou não que eu seja escritora. Muitos me consideram escritora  e muitos outros personagens não me consideram escritora. Mas aceito cada crítica, cada um é cada um !
 Escrevo porque gosto. É claro que ninguém sabe escrever tudo certo  nesse mundão de meu Deus, ! Escrever é tudo de bom, seja poético, seja padrão, coloquial, só sei que escrevo. Isso depende de cada momento da minha vida para escrever, escrevo algo que vejo, o que sinto, o que penso, seja real ou ficcional. Atualmente tenho muitos   livros que estão em acabamentos,serão publicados assim que eu terminá-los  e corrigir-los é claro!

 Moro em Santa Maria DF com minha família, nasci em Peixes-To,  sou feliz porque principalmente tenho a Deus,família e muitos amigos! Sou filha de Francisco Alves Moreira e Marlene Francisco Reges, bisneta de Elpídio Francisco Reges Lopes de origem africana e  neta de Elpídio Francisco Reges de origem africana e de Gregória Rodrigues Teixeira de origem indígena filha de índia são meus avôs maternos e os paternos são: Joaquim Alves Moreira de origem baiana e Ana Maria Ferreira de Jesus de origem indígena.    E os antepassados da minha geração por parte de pai  são de origem  mineira por parte  de Joaquim Alves Moreira Guarapiranga Minas Gerais o procedente de Salvador Alves Moreira o 1º Joaquim Alves Moreira e depois disso , já existiu mais Joaquins Alves Moreira procedente do 1º Joaquim Alves Moreira, deixando claro que o ultimo dos Joaquins que é meu avô paterno é de origem baiana.
“A família Alves Moreira é oriunda de Guaratinguetá, SP, procedente de Salvador Alves Moreira, n. 1723, na mesma cidade, que foi um dos primeiros povoadores do Caminho Novo, que ia para o Rio de Janeiro (DFB)." Da 1ª geração.
Avô materno de meu pai: José Pereira Ferreira, em Barreiras Bahia, avó materna dele: Ana Rita Ferreira de Jesus, bisavô materno: José Benedito Ferreira e a bisavó materna: Balduína Ferreira de Jesus, avô paterno: José Caçiro Alves Ferreira, avó paterna de papai: Francisca Alves Ferreira,bisavô paterno: não me lembro,  bisavó paterna: Santa Rita e morava no Rio Preto.  E meu pai não se esquece das histórias contadas por parentes sobre:  Tio Miguel Alves Moreira, diziam que ele adorava contar muitas histórias e piadas.
 O meu sobrenome,  e demais parentes , e dos antepassados de meu pai procede como Família Alves Moreira... Fiz muitos cursos básicos, estudei na Extensão da “UNB”, cursos de Extensão, os cursos são: Filosofia, Português e Literatura, Álgebra e Geometria, Política e Cidadania, Espanhol, sei um pouco de Inglês Básico, e em outras empresas de cursos particulares os cursos de: Informática completo com mais de 15 cursos, fui professora de reforço escolar durante 12 anos. Trabalhei como autônoma ,  com vendas de gelados como: picolés e sorvetes fabricados por mim, e atualmente sou estudante e trabalho com meu esposo na Construção Civil  na nossa Empresa "Construtora Moreira" , fazendo o trabalhar de como: sair com ele para orçamentário e compras de materiais, nas formações da Plantas dos prédios e de outras construções, nas limpezas e vistorias, e também faço rejunte de qualquer piso junto aos outros trabalhadores que trabalham nos prédios que fazemos, trabalhar não é obstáculo para mim... Empresária de Malharia e acessórios da minha Empresa e Sócia de Smero Graffiti Art com muito orgulho tenho registro e pago...

Tenho minha família em Novo Alegre-Goiás, onde são os membros: Adailton Alves Moreira, Marcilene Alves Moreira, Marcelino Alves Moreira, Marlone Alves Moreira já falecido, Wênes Alves Moreira, meu pai: Francisco Alves Moreira nascido no dia 26 de Dezembro 1928 , minha mãe já falecida Marlene Francisco Reges nasceu 17 de Dezembro de 1952 morreu no dia 11 07 de 2008,    tenho muitos outros parentes por parte de pai , a família Alves Moreira é muito grande!

De onde eu vim provavelmente você veio!
"GENEALOGIA BRASILEIRA
Estado do Rio de Janeiro - Povoadores da Região Serrana"
Família ALVES MOREIRA
Sou: Adaildes Alves Moreira (MOREIRA, Adaildes Alves: ESCRITORA/POETA/FOTÓGRAFA/FILÓSOFA/COMPOSITORA e MÃE), nasci no dia 01/01/1974, sou filha de Francisco Alves Moreira e Marlene Francisco Reges, neta de Elpídio Francisco Reges de origem africana e Gregória Rodrigues Teixeira de origem indígena são meus avôs maternos e os paternos são: Joaquim Alves Moreira de origem baiana e Ana Maria Ferreira de Jesus de origem indígena. Avô materno de meu pai: José Pereira Ferreira, em Barreiras Bahia, avó materna dele: Ana Rita Ferreira de Jesus, bisavô materno: José Benedito Ferreira e a bisavó materna: Balduína Ferreira de Jesus, avô paterno: José Caçiro Alves Ferreira, avó paterna de papai: Francisca Alves Ferreira, bisavô paterno: não sei. Bisavó paterna: Santa Rita e morava no Rio Preto.
 E os antepassados da minha geração por parte de pai são de origem mineira por parte de Joaquim Alves Moreira Guarapiranga Minas Gerais o procedente de Salvador Alves Moreira o 1º Joaquim Alves Moreira e depois disso , já existiu mais Joaquins Alves Moreira procedente do 1º Joaquim Alves Moreira, deixando claro que um dos últimos dos Joaquins que é meu avô paterno foi de origem baiana e na atualidade de 1958 Irineu Alves Moreira filho de Joaquim Alves Moreira teve um filho por nome de Joaquim Alves Moreira e ele faleceu ainda bebê com a idade entre 10 e 11 meses tornando agora n ano atual de 2016 um dos últimos procedentes de mesmo nome e sobrenome.
“A família Alves Moreira é oriunda de Guaratinguetá, SP, procedente de Salvador Alves Moreira, n. 1723, na mesma cidade, que foi um dos primeiros povoadores do Caminho Novo, que ia para o Rio de Janeiro (DFB)." Da 1ª geração. E meu pai não se esquece das histórias contadas por parentes sobre: Tio Miguel Alves Moreira, diziam que ele adorava contar muitas histórias e piadas.
O meu sobrenome, e demais parentes, e dos antepassados de meu pai procede como Família Alves Moreira descendentes de Famílias Portuguesas/ Archimenis Alves Moreira  provavelmente veio antes da Família Real por volta de 1723 com os Portugueses a vir e habitar o Brasil,  e  depois disso  com a Família Real da Coroa Portuguesa  em 1808,  veio com eles membros da Família de Salvador Alves Moreira de 1723, e  que ele era um dos Advogados da Família Real , o Advogado de  D. João, e de D. Maria I, pode sim ter início aí da vinda novamente da Família Alves Moreira ao Brasil em 1808 de pessoas ligadas a Salvador Alves Moreira de 1723 em parentescos descendentes que moravam em Portugal e deixaram famílias que também são descendentes de Salvador Alves Moreira e de  Archimenis Alves Moreira , assim eu espero que seja e tenha sido, pois meu pai Francisco Alves Moreira falava que nossa Família além de descender de Portugueses também descende de Família Militar, por isso vejo sentido nessa história que  Archimínio Alves Moreira  é parentesco de Salvador Alves Moreira e de Archimenis Alves Moreira , e Archimínio Alves Moreira morreu na cidade do Rio de Janeiro, assim como informação dada por seus descendentes. E contam que ele foi alferes em 1895, conforme registros institucionais do Exército. Foi advogado da coroa portuguesa, onde recebeu em forma de pagamentos terras ao Sul da Bahia no século XIV. Aproximadamente na década de 30 tornou-se pastor Batista.
Minha iniciação de vida: Numa cidade bem pequena chamada Peixes Tocantins onde passa o Rio Tocantins famoso, começaram minhas histórias e lá também tinha outra avó porque criou minha mãe chamava Maria e ela é mãe de Vivaldo, Vivaldi, Ângela que são meus tios. Também vovó tem uma neta que nunca esqueço a Rita é parte de minha infância, os meus pais moravam em uma fazenda em peixes, mas meu nascimento foi no Hospital de Peixes, alguns dos meus irmãos nasceram na fazenda com ajuda de uma parteira.
Meus irmãos são: Adailton Alves Moreira, Marcilene Alves Moreira, Marcelino Alves Moreira, Marlone Alves Moreira e Wênes Alves Moreira, todos nós herdamos o sobrenome de meu pai e de meu avô paterno.
Meu pai tem muitos irmãos que são: Irineu Alves Moreira, Ana Rita Alves Moreira, José Alves Moreira, Conceição Maria Alves Moreira, Aparecida Alves Borges depois que se casou Com Neto Borges ficou com esse sobrenome, Benjamim Alves Moreira, Nina Alves Moreira, Natalino Alves Moreira, Roxa Alves Moreira e João Alves Moreira.
Provavelmente da onde eu vim e você veio e seus parentes!
Joaquim Alves Moreira era o proprietário de terras em Novo Alegre Tocantins a Fazenda Veneza e que foi vendida com a assinatura dos herdeiros e menos quem não assinou foi Francisco Alves Moreira nascido no dia 26 de dezembro de 1932 irmão de Irineu Alves Moreira, herdou o nome e sobrenome de um de seus antepassados Francisco Alves Moreira:
2.4 Francisco Alves Moreira, provavelmente o mesmo que tinha terras em Euclidelândia em 1855 e 56 (vizinhas dos herdeiros da finada Jesuína Pulquéria de São José, de Damião Pereira Durão e da Fazenda Santa Bárbara, de Paulino Bento Vieira de Barcelos), cc. Francisca Emília de Gouveia (AP, DBB e Int).
2.5 Manuel Alves Moreira (hipótese), em 1851 vendeu sesmarias no Palmital, Euclidelândia, a Manuel Vieira da Silva Santos (AP). Foi dito o Francisco atual vivo em 2016 como falecido na época da venda das terras, mas atualidade do ano de 2016 ainda é vivo e morador da Cidade de Novo Alegre-Tocantins e não falecido como consta nos documentos da venda para Irineu Alves Moreira; foi cedida a venda da fazenda compra para: o dono atual até em 2016 Irineu Alves Moreira e falecido neste mesmo ano de 2016, agora atual donos 2016 por compra ou herdeiros: Maria José Alexandrina Alves da Silva, José Alves Moreira, Jazí Alves Moreira e Joarinda Alves Moreira , filhos e Zé da Praia comprador de uma grande parte por venda dos herdeiros.
"A família Alves Moreira é oriunda de Guaratinguetá, SP, procedente de Salvador Alves Moreira, n. 1723, na mesma cidade, que foi um dos primeiros povoadores do Caminho Novo, que ia para o Rio de Janeiro (DFB)."
Nota nº 2:
Por: "Lênio Luiz Richa (lenioricha@yahoo.com.br)"
"Joaquim Alves Moreira (vide Nota nº 1, no rodapé), cc. Antônia (...), com pelo menos (HB):
1.1 Joaquim Alves Moreira, de Guarapiranga, Minas Gerais, f. 1852 ou 53, testemunha de casamento em Cantagalo, Estado do Rio de Janeiro, Brasil, em 1833, pequeno proprietário de terras em 1848, no Córrego dos Tanques, em Euclidelândia, dono da Fazenda São Manuel, que deixou aos herdeiros (vizinha a João Lopes Martins e da sesmaria de Antônio de Faria Salgado, em São Sebastião do Alto, em 1855, vendida em 1856 a Adolfo Kuenzi), em 1850 foi parte em processo judicial em Cantagalo.
C. 1ª vez, 1827, Cantagalo, com Umbelina Rosa Mendes Moreira, de Guarapiranga, já f. 1846, f. de Leandro Mendes Peixoto e Joaquina Umbelina Rosa e, 2ª, com Carolina Florentina Mendes, com pelo menos, da 2ª esposa (AL, AP, HB, História de São Fidélis, de Aurênio Pereira Carneiro, fls. 40 e MJ):
2.1 Rosinda Gouveia, f. 1870 ou 71, residente em Teresópolis, RJ, com a qual Euclides da Cunha foi morar aos três anos de idade e, com o falecimento desta, passou a residir com a tia Laura, a seguir. Foi casada com o doutor Urbano Gouveia ou Silvério Coelho de Gouveia e, foi possivelmente a mesma Rosinda Alves Moreira, viúva, c. 1856, Cantagalo, com Antônio Pereira dos Santos Batista (DBB e Int).
- Obs.: Pode ter sido filho (ou neto) dela: Marechal, Dr. Urbano Coelho de Gouveia, n. 1852, Cantagalo, f. 1925, Engenheiro Militar, Deputado Federal, de 1892 a 1903, Senador de 1903 a 1909, Presidente do Estado de Goiás de 1898 a 1901 e de 1909 a 1912, cc. Leonor de Bulhões Jardim, f. do Major Inácio Soares de Bulhões e Antonia Emília Jardim, c. ger. em Lemos. (FP.3.63, site do Senado Federal e Wikipédia).
2.2 Laura Constança da Silva Moreira Garcez, c. 1846, no oratório da fazenda de Jerônimo Alves Torres, em Cantagalo, com o major de cavalaria Cândido José Antônio de Magalhães Garcês, de Nossa Senhora da Candelária, Rio (dono da Fazenda São Joaquim, em Cambiasca, São Fidélis, de 1870 a 76, onde residiam), f. de Antônio Joaquim de Magalhães Garcês e Leocádia Joaquina de Magalhães Garcês. Testemunha do casamento: Manuel Vieira do Espírito Santo (HB e História de São Fidélis, de Aurênio Pereira Carneiro, fls. 40).
Tiveram pelo menos:
3.1 Ten. Cel. Cândido José de Magalhães Garcez, em família Candinho, morou na Fazenda São Joaquim e no Solar dos Garcez, cc. Josefina Pache de Faria, com pelo menos (todas as informações deste ramo foram gentilmente enviadas pelo amigo, genealogista, Matheus Miranda, descendente do casal):
4.1 Laura Garcez, n. São Fidélis, onde c. 1905, aos 23 anos, com Peri de Miranda, de 24 anos, n. da mesma cidade, f. 1948, negociante, distribuidor e partidor público, proprietário do jornal “A Luta”, de São Fidélis, o qual fundou em 1895, f. de Gregório Francisco de Miranda e Antônia Pache de Faria, com entre outros:
5.1 Lery Miranda, que trabalhava com o pai no jornal.
5.2 Natal Garcez Miranda, n. 1912, Jurujuba, Niterói, registrado em São Fidélis, cc. Zila da Costa Rodrigues, n. 1912 (irmã de Antônio, Adelina, Dejanira, n. 1913, Fidelina, Pedro e Eliseu), f. de Antônio da Costa Rodrigues e Júlia Vieira da Costa Rodrigues, np. de Manuel da Costa Rodrigues e Deolinda Carolina da Costa, nm. de Antônio Vieira de Menezes e Fausta Rosa da Costa Menezes, com: Neize, Nei Carlo, Neide, Peri Neto, Neila e Naila Miranda.
3.2 Trajano.
2.3 Eudóxia Alves Moreira da Cunha, a mais nova das filhas, n. 1842 ou 46, f. 1869, Ponte Nova (atual Laranjais), RJ, c. 1864, Euclidelândia, com Manuel Rodrigues Pimenta da Cunha (1ª esposa), n. entre 1841 e 46, f. 1909, poeta e guarda-livros, dono da Fazenda Trindade, em Belém do Descalvado, f. de Manuel Pimenta da Cunha, português, morador na Bahia, e Teresa Maria de Jesus da Cunha Barreto (1º marido), de família sertaneja (“vinda do interior da Bahia, para Salvador”), com geração na família Pimenta da Cunha (DFB, EPC, História de São Fidélis, de Aurênio Pereira Carneiro, fls. 40 e Int).
2.4 Francisco Alves Moreira, provavelmente o mesmo que tinha terras em Euclidelândia em 1855 e 56 (vizinhas dos herdeiros da finada Jesuína Pulquéria de São José, de Damião Pereira Durão e da Fazenda Santa Bárbara, de Paulino Bento Vieira de Barcelos), cc. Francisca Emília de Gouveia (AP, DBB e Int).
2.5 Manuel Alves Moreira (hipótese), em 1851 vendeu sesmarias no Palmital, Euclidelândia, a Manuel Vieira da Silva Santos (AP).
2.6 Antônio Alves Moreira (hipótese), tinha posse no Condé, Itaocara, em 1855, onde foi testemunha em 58 e 59, era administrador da posse de José Alves Moreira, em São Pedro, Itaocara (AP e MP).
2.7 Antônio José Moreira (hipótese, que também poderia ser da família Moreira da Silva), cc. Genoveva Maria Alves, com pelo menos:
- Obs.: Este possível ramo foi gentilmente enviado pelo amigo, genealogista, Darli Bertazzoni Barbosa, de Londrina, PR, e para o qual recebemos, também, informações do Sr. Abdias Venturini, o que muito agradecemos.
3.1 Gabriel Alves Moreira, n. cerca de 1855, Nova Friburgo, c. 1885, São Francisco de Paula, com Maria Antônia da Silva, n. por volta de 1867, na mesma freguesia, f. de Antônio Correia Gomes e Maria Antônia de Jesus, com pelo menos 7 filhos, todos naturais de Trajano de Morais (DBB):
4.1 Josefina, b. 1886.
4.2 José, b. 1889.
4.3 Georgina, b. 1889, um mês após o irmão José.
4.4 Joana, b. 1892.
4.5 Antônio, b. 1894.
4.6 Maria, b. 1896.
4.7 Amélia, b. 1900.
3.2 Joana Alves Moreira, n. São Francisco de Paula, onde c. 1889, com Manuel Sabino dos Santos, n. cerca de 1864, na mesma freguesia, f. de Francisco José dos Santos e Vicência Maria, com pelo menos (DBB):
4.1 Elias, b. 1900, Trajano de Morais.
3.3 Maria Alves Moreira, n. cerca de 1871, São Francisco de Paula, onde c. 1889, com João José de Souza, n. por volta de 1861, Nossa Senhora das Neves, Macaé, f. de Luís José de Souza e Maria Alves, com pelo menos (DBB):
4.1 Virgínia, b. 1893, Trajano de Morais.
4.2 Quirino, b. 1895, Trajano de Morais.
4.3 Maria, b. 1902, Trajano de Morais.
3.4 Adelaide Alves Moreira, n. cerca de 1872, São Francisco de Paula, onde c. 1891, com Luís José de Souza Júnior, n. cerca de 1864, Nossa Senhora das Neves, Macaé, f. de Luís José de Souza e Maria Alves, com pelo menos 5 filhos, todos naturais de Trajano de Morais (DBB):
4.1 Alfredo, b. 1893.
4.2 Maria, b. 1895.
4.3 Adelaide, b. 1897.
4.4 Deocleciano, b. 1899.
4.5 Isaura, b. 1901.
3.5 Bernardo Alves Moreira da Silva, n. cerda de 1868, São Francisco de Paula, onde c. 1893, com Lincolina Maria Moreira da Silva, n. por volta de 1873, na mesma freguesia, b. 1874, Trajano de Morais, f. de Vitorino Moreira da Silva e Antônia Maria de Jesus Moreira da Silva, com pelo menos (Abdias Venturini e DBB):
4.1 Elísia, b. 1894, Trajano de Morais (DBB).
4.2 Genoveva, b. 1896, Trajano de Morais.
4.3 Virgílio, b. 1899, Trajano de Morais.
4.4 Irinéia, b. 1901, Trajano de Morais. Padrinhos: Lino José Pinheiro e Adelaide Moreira da Silva.
3.6 Antônia Alves Moreira, n. São Francisco de Paula, onde c. 1893, com Francisco José do Espírito Santo Sobrinho, n. da mesma freguesia, f. de Joaquim José do Espírito Santo e Honorina Maria de Jesus ou do Espírito Santo, residentes em São Francisco de Paula, com geração na família Melo (DBB e Ig).
3.7 Miguel Alves Moreira, n. cerca de 1867, São Francisco de Paula, onde c. 1896, com sua cunhada Idalina Moreira da Silva, b. 1881, Trajano de Morais, f. de Vitorino Moreira da Silva e Antônia Moreira da Silva, com pelo menos (Abdias Venturini e DBB):
4.1 Brasilina ou Brasilino, b. 1897, Trajano de Morais (DBB).
4.2 Antônia, b. 1900, Trajano de Morais.
3.8 Elias Alves Moreira, c. 1900, São Francisco de Paula, com Messias Cândida do Amaral, f. de Marcelino Coelho do Amaral e Cândida Maria das Neves do Amaral, com pelo menos (DBB e Ig):
4.1 Guiomar, b. 1901, Trajano de Morais (DBB).
3.9 João Alves Moreira (hipótese), cc. Perpétua Lima de Castro, com pelo menos:
4.1 Elias, b. 1899, Trajano de Morais.
4.2 Odília, b. 1902, Trajano de Morais (DBB).
1.2 Rodrigo Alves Moreira (hipótese), cc. Maria Antônia de Jesus, com pelo menos (HB):
2.1 Domingos Alves Moreira, de São Pedro da (...), Porto, Portugal, c. 1848, Cantagalo, com Francisca Bersot, desta cidade, f. de Vítor Bersot e Caterina Bersot.
- Obs.: Encontramos na Internet: São Pedro da Cova e São Pedro da Raimonda, ambas no Porto.
BARRA DE SÃO JOÃO/RIO DAS OSTRAS/CONCEIÇÃO DE MACABU:
Joaquim Alves Moreira, do Porto, Portugal, cc. (...), com pelo menos (que deixaram descendência na Região dos Lagos, RJ):
1.1 Joaquim Alves Moreira Júnior, da região de Barra de São João/Rio das Ostras, cc. Umbelina Nascentes Sodré Moreira, f. de Manuel de Sampaio Sodré e Carolina Nascentes de Almeida, estabelecidos em Conceição de Macabu (na época pertencente a Macaé), com pelo menos:
2.1 Ormindo Alves Moreira n. Conceição de Macabu.
2.2 Manuel Alves Moreira, n. Conceição de Macabu (onde nasceram todos os seus filhos e filhas), cc. Ana Barbosa Moreira, com entre outros:
3.1 Demerval Barbosa Moreira, médico, morador em Nova Friburgo.
3.2 Waldir Barbosa Moreira, médico e político, morador em Teresópolis.
3.3 Carlos Barbosa Moreira, dentista, veterinário e militar, morador em Teresópolis.
3.4 Helvécio Barbosa Moreira, cc. (...), com filhos nascidos em Conceição de Macabu. São os avós do amigo, genealogista, Carlos José Rosa Moreira, que mandou todas as informações destes Alves Moreiras de Barra de São João, Rio das Ostras e Conceição de Macabu.
Nota nº 1:
A família Alves Moreira é oriunda de Guaratinguetá, SP, procedente de Salvador Alves Moreira, n. 1723, na mesma cidade, que foi um dos primeiros povoadores do Caminho Novo, que ia para o Rio de Janeiro (DFB)."

O Saber Secreto

Saber não importa a dimensão, pode está no mais profundo do seu ser, existem variedades.
Sua sabedoria pode ser “múltiplas” secreta de sua alma.
Existir para sua criação, colocar para fora o que você tem de melhor.
Tudo está em seu coração, sabendo que existe limitações, cada desenvolvimento pode ser diferente em diferentes pessoas.
O saber Amar frui de si, o mais possível do saber secreto.
Autora: Adaildes Alves Moreira

Um dia para ser feliz!

Quando o dia raiar, quero ser a primeira a acordar…acordar para ser feliz!
Sei que a felicidade não depende só de um dia, depende do que fizemos , a conquista.
Conquista de algo verdadeiro, disso depende do que temos e do que fizemos dentro de nós.
Tudo em nós pode ser, um dia de cada vez, poderemos vê o quanto perdemos com mesquinharias.
Enquanto poderíamos ganhar com algo melhor, ajudando mais o próximo e enxergando mais as pessoas!
E sabemos que é difícil pensar em alguém, porque sempre pensamos em nós mesmo!
Mesmo sabendo de tudo isso, almejo um dia para ser feliz!
E você quer ser feliz um dia?
Ame a Deus!
Ame a sí mesmo!
Ame os outros !
Ame tudo que está em sua volta e expanda esse amor para ser universal!
Autora: Adaildes Alves Moreira

O melhor dia

É aquele que não estamos de mal humor.
Quem faz o melhor dia somos nós.
Depende do que vamos fazer no decorrer do dia.
Se as tarefas são muitas, podemos ficar cansados e não aproveitar nada.
Aproveitar o dia é fazer coisas boas.
Coisas boas como: passear em um lindo jardim florido, ir para um rio e ouvir o barulho das águas.
Ouvir o canto dos pássaros.
Fazer uma boa caminhada em uma trilha com muito verde.
E conversar com muitos amigos, amigos verdadeiros que aumenta seu astral. Esse pode ser seu melhor dia!
Autora: Adaildes Alves Moreira

Oi queridos amigos!

Como vai ?
Aqui vocês poderão fazer  suas perguntas.
Responderem  as minhas  perguntas.
A pergunta de hoje é: Qual seu maior sonho,ou já realizou seu sonho?
Autora: Adaildes Alves Moreira

A esperança e a Sorte

A esperança e a Sorte

Um dia desses começamos a falar como seria a sorte e a esperança…
A sorte pode ser para poucos e a esperança é a “ultima que morre” entre um povo batalhador.
Ainda bem que não vivemos esperando pela sorte, mais sim pela esperança de um dia tudo ficar melhor ainda.
Quando temos algo que conseguimos e é de fato um sonho realizado, podemos dizer que a sorte estava do nosso lado.
Quando sonhamos por algo distante que não temos e existe uma dimensão distante, sabemos que ainda nos resta a tal esperança!
A Fé dentro de nós prevalece, somos guerreiros e guerreiros que  luta por justiça, melhor vida e por nossos sonhos se tornarem realidades.
Se você acha que sua vida acabou, está enganado, lutar é bom para resgatar sua alto estima.
Usa suas armas, armas da criação de futuro, brilhe como as estrelas, saia dessa tristeza e vença cada obstáculos de sua vida.
Mesmo sabendo que a sorte esteja  pouca e esperança distante de um mundo melhor, a vida vale muito mais, vamos l[a, trabalhe!
Autora: Adaildes Alves Moreira

Magia da vida!

Nem tudo na vida é construído com magia, uma vida se constrói aos poucos com muita coragem e luta.
A magia que me refiro é a magia de contagiar os outros com carisma e afecto.
O mundo poderia ser mágico, oferece muita coisa boa, mas não acontece milagre de um dia para outro, a transformação vem lentamente e curioso que quantas conquistas existem em uma cultura de um povo.
O que conseguiremos num mundo mágico e misterioso só algumas desilusões, o que aflora mesmo é a realidade cruel e desigual, poucos privilégios para muitos e muitos privilégios para poucos.
Um dia alguém me disse:_”Sonhar alto não custa nada!!”Por isso sonhe e corra atrás dos sonhos e não se esquecendo de Deus, do próximo, esticando a mão para os necessitados.
Uma vez aqui nesta cidade parecia que tudo era escuridão, veio logo uma luz lá de longe e brilhou, a tempestade logo foi embora, assim é a vida, sofremos tempestades e problemas e logo são superados.
Os espinhos furam e deixam cicatrizes, quando pensamos entrar novamente em um roseiral lembramos dos velhos espinhos que fez-nos aprender a não se machucar com novos espinhos.
Sei que neste mundo, aprendemos a viver um pouco de tudo e fazer um pouco de cada coisa, se não nossa vida seria puro monotelismo!
Autora: Adaildes Alves Moreira







Fotos de : Adaildes Alves Moreira